"Três coisas agradam a todo o mundo: gentileza, frugalidade e humildade. Pois os gentis podem ser corajosos, os frugais podem ser liberais e os humildes podem ser condutores de homens."Texto Taoísta



sábado, 2 de fevereiro de 2013

PARA REFLEXÃO - por Rachel Pekim

  http://narinhamend.files.wordpress.com/2011/03/contrc3a1rios.jpg
Pouca comida é miséria, comer pouco é educação. 
Feiura no rosto é apenas feio, feiura na tela é irreverência. 
Lixo é repugnante, lixo moldado é reciclagem. 
Mulher nua na rua é prostituta, mulher nua na rua segurando um cartaz é protesto. 
Velho com vitrola é atrasado, jovem com vinil é estilo. 
Pobre artista é pichador, rico com tinta é gênio. 
Baile funk é perda de tempo, balada eletrônica é diversão. 
Ir sem roupa ao shopping é atentado violento ao pudor, ir sem roupa á praia é naturalismo. 
 Milionário usando chinelas é humilde, humilde com chinelas é milionário. 
Cachorro com coleira é fofo, cachorro sem coleira é vira- latas. 
Sirene em bairro rico é ambulância, sirene em favela é polícia. 
Estrondo em dia de jogo são fogos de artifício, estrondo em dia de jogos da comunidade, são traficantes. 
Aluno que cola é esperto, aluno que estuda é otário. 
Mentira dita muitas vezes é verdade, verdade nunca dita é mentira. 
Solidão aos dezesseis é drama, solidão aos sessenta é necessidade. 
Cabelo enrolado é cabelo ruim, cabelo enrolado com babyliss é sexy. 
Palmada em filho é disciplina, palmada em aluno é caso de notícia. 
Modelo gorda é inaceitável, modelo magra é pleonasmo. 
Macaco é racismo, branquelo é apelido. 
Seios na televisão é apelação, seios na televisão em fevereiro é carnaval. 
Foto do pé é cafona, foto do pé com efeito instagram é vintage. 
Criança magra é desnutrida, criança obesa é descuido. 
Menino com amigas é gay, meninas com amigos é oferecida. 
Homens com várias é inspiração, mulher com vários é mal falada. 
Adotar um bebê é amor, adotar um adolescente é caridade. 
Palavrão na rua é baixaria, palavrão na música é alternativo. 
Verde e amarelo é cafonice, torcer pra seleção é patriotismo. 
Beijar é bom, beijar dois na mesma festa é segredo, beijar outro é traição, beijar ninguém é ser encalhado. 
Andar de mãos dadas é fofo, andar de mãos dadas com pessoa do mesmo sexo é pouca vergonha. 
Reclamar do Governo é legal, fechar a tv em horário político é rotina. 
Mandar cartas é velharia, receber cartas é romantismo. 
Não ter filhos é lamentável, optar por não ter filhos é estilo de vida. 
Xingamentos na cama é ousadia, xingamento na mesa é barraco. 
Criança loira , bem vestida e sozinha está perdida. Criança negra, suja é sozinha é. 
A fome é um problema mundial, a fome do outro não é um problema meu. 
Bonita é difícil é atraente, bonita e fácil é vagabunda. 
Feia difícil é burra, feia fácil é descartável. 
Bater em mulher é machismo, mulher bater em homem é engraçado. 
Católico assassino é banalidade, protestante assassino é hipocrisia. 
Passear no campo é liberdade, morar no campo é falta de dinheiro. 
Óculos espelhado é horrível, óculos espelhado de marca é moda. 
Livro de cinquenta reais é caro, uísque de cinquenta reais é festa.
Matar um cachorro é desumano, matar um boi é churrasco. 
Um assassinato é fatalidade, três mil é estatística. 
Ser ou não ser é Shakespeare, indecisão é defeito. 
Acreditar no amor é beleza, acreditar em alienígenas é ilusão. 
Grito na música é rock in roll, grito sem ritmo é falta de argumentos. 
Loucos só passaram a existir depois que inventaram a normalidade. 
Diferenças só não foram aceitas quando alguém tentou ser diferente. 
Conceitos não mudam realidades, mas realidades mudam conceitos. 
Pessoas não são palavras, mas palavras formam pessoas. 
Se é certo que somos produtos do meio, é certo também que somos somente produtos. 
Indivíduos são matérias-primas em abundância, mas individualidade é artigo de luxo. 
Rótulo na embalagem é essencial, rótulo em tudo é apenas uma sociedade.

Rachel Pekim

Ainda Que Mal - por Carlos Drummond


http://4.bp.blogspot.com/_j3zO9KcnIRw/S9hgD6PWkQI/AAAAAAAACHM/iiD6ymr8lYc/s400/18414469_078c3bf9ff.jpeg
Ainda que mal pergunte,
ainda que mal respondas;
ainda que mal te entenda,
ainda que mal repitas;
ainda que mal insista,
ainda que mal desculpes;
ainda que mal me exprima,
ainda que mal me julgues;
ainda que mal me mostre,
ainda que mal me vejas;
ainda que mal te encare,
ainda que mal te furtes;
ainda que mal te siga,
ainda que mal te voltes;
ainda que mal te ame,
ainda que mal o saibas;
ainda que mal te agarre,
ainda que mal te mates;
ainda assim te pergunto
e me queimando em teu seio,
me salvo e me dano: amor.
 
Carlos Drummond de Andrade